17 set 2018

Como construir a sua marca com propaganda

Planejamento Estratégico








Os consumidores escolhem uma marca baseado numa avaliação objetiva da informação que recebe em sobre um produto. As pessoas podem comprar uma marca porque essa marca chega primeiro a sua mente ou porque algum parente/amigo comprou e indicou. A propaganda boca a boca, é a propaganda que mais dá resultado. Na era das redes sociais quanto melhor for a avaliação das pessoas em relação às marcas ou produtos melhor será o resultado de engajamento e conhecimento das marcas com relação ao grande público.

O conteúdo da propaganda é criado para o julgamento da marca em um processo de dois estágios a informação da propaganda e avaliação do produto a informação é algo para a memória no curto prazo, é o que o consumidor está pensando no momento em que ver o anúncio. Estudando uma jornada de consumo, é possível entender em que momento o consumidor está propenso a receber determinada mensagem. Algumas empresas, investem muito dinheiro em propaganda e mídia, para que essa informação de memória curto prazo se transforme em uma memória de longo prazo. Processo de comunicação faz com que produtos, placas ou serviços sejam fixados na mente do consumidor para que no momento da decisão de compra a marca seja a primeira na escolha.

Memória de longo prazo

Três fatores que influenciam a ativação da informação da memória de longo prazo, algo que as marcas sempre buscam na mente do seu consumidor, por isso ao construir uma marca Não pode-se desprezar branding e o posicionamento, dois fatores de forte influência na decisão de compra.

Frequência: Quanto mais frequente mais rápido vem à mente. As marcas líderes são mais fáceis de serem lembradas, e as marcas comuns. Isso não é estranho uma vez que as marcas líderes normalmente tem investimentos em mídia muito maior do que as marcas menores. Não é possível, construir uma marca sem investir um bom dinheiro para isso e esse dinheiro, é um dinheiro constante, ou seja é algo que a marca precisa fazer todos os dias.

Recenticidade: Quanto mais recentemente processada por em formação, mas provavelmente ela será recuperada da memória de longo prazo e transferida a memória de curto prazo. É mais provável, lembrar de um anúncio que vimos na última noite do que aquele que vimos no mês passado.

Elaboração: São as associações que as pessoas fazem com as marcas. As marcas podem ativar o módulo da conveniência nas mentes dos consumidores mediante a associações que eles fazem no universo em que a marca habita.

Julgamento sobre a propaganda

Pessoas fazem julgamentos sobre a propaganda baseado em suas aspirações, por isso, as marcas devem refletir essas aspirações. A propaganda bem sucedida depende de frequência e como ela reflete as aspirações dos indivíduos com os quais ela deseja se conectar. Apenas apresentar as informações de um produto, não irá conectar o consumidor a marca, produto ou serviço. Um anúncio de sucesso é aquele que consegue reproduzir os anseios e desejos do consumidor, para que se sinta inserido no contexto do qual o anúncio faz parte.

Pessoas são orientadas por metas

Apresenta o conteúdo que esteja consistente com as metas do consumidor. As pessoas têm meta de consumo, comprar um carro, ou um apartamento. A tendência, é que as pessoas prestem mais atenção nos anúncios, quando esses os ajudam a atender as metas de consumo. Quando se cria um site, blog o post na rede social é preciso entender a fundo o que o consumidor está buscando.

Parece meio óbvio, que se diga que é preciso construir anúncios voltados para quem está decidindo uma compra, entretanto, como a grande maioria das marcas não se preocupa com a jornada de consumo acaba sendo um festival de anúncios, posts, links patrocinados ou conteúdo para blogs sem a menor conexão com o que o consumidor realmente deseja como meta de consumo.

Pessoas focadas em promoções

Esse tipo de público é orientada a realização, e aspiração. São pessoas que perseguem suas metas de consumo diariamente estão sempre buscando ganhar algo não se preocupa com sua proteção ver você o responsabilidade. Apenas querem ter, e não medem esforços para isso. Propagandas que entregam vantagens como ” comprou ganhou”, ” 50% off” ou ” mega desconto só hoje” querem vantagens, mas jamais serão fiéis a sua marca. Cabe ao estrategista da marca, entender se a sua marca é algo desejável ou promocional. Marcas como Montblanc, Cartier, Hugo Boss ou Ferrari não são marcas que trabalham promoção de seus produtos, entretanto, marcas como Renner, C&A, Magazine Luiza ou Hering apostam sempre nas promoções.

Escolha baseada em estímulos

Essa é uma escolha onde há vários estilos disponíveis no ambiente de compra. Por exemplo, em uma loja virtual, é possível ver uma enorme quantidade de estímulos vila através de banner, chat, recomendações e avaliações das pessoas sobre os produtos. Os estímulos também podem vir de fora nas lojas, como por exemplo, um post no Facebook, e-mail marketing, notificação pelo aplicativo, recomendação de um amigo pelo Instagram ou um elogio a loja pelo Twitter.

Criando a mensagem vendedora

Uma mensagem mais linda dura é preciso que ela seja persuasiva, ou seja, é uma mensagem que precisa vender o produto sem que ninguém fique falando sobre este produto. As vendas digitais, em sua grande maioria, ocorre de forma automática, ou seja, o consumidor interage com máquinas e não com pessoas como em lojas físicas em um shopping ou na rua. A diferença entre o ambiente físico e o digital, é que o físico conta com a ajuda humana para persuadir na venda, mostrando o produto, falando dos benefícios, envolvendo o consumidor e uma conversa para que saia à venda, por outro lado no ambiente digital, tudo isso precisa ser feito de forma automática. Hoje as lojas virtuais contam com diversas ferramentas automatizada e contribuem para este envolvimento/encantamento do Consumidor no momento da compra.

Vendas agressivas

Basicamente são vendas em que as pessoas compram um produto e ganham um determinado benefício. A eficácia da venda agressiva depende da importância do benefício caracterizado no anúncio para os potenciais clientes, diferenciando a marca de seus concorrentes. Vendas que são atrelados a benefícios, por exemplo ” nas compras acima de R$ 150, frete grátis” não fidelizam o consumidor a sua marca, mas gera venda. Se a sua marca, é uma marca altamente desejável, como a já citada Ferrari, essa não é a melhor das estratégias para vender.

Grande ideia: Oferece uma estratégia alternativa para ajudar os clientes a vincular em um benefício a uma marca, envolve dar aos clientes várias razões para acreditar em que uma marca possui um benefício específico. Conveniência, é um conceito muito usado neste momento. Por mais que o consumidor esteja completamente tranquilo com relação a isso reforçar que a compra online é cômodo e mais econômico, isso reforça o momento de decisão de compra, entretanto, dizer que compraram online é mais barato comprar na loja já não é mais uma verdade absoluta e o consumidor, os mais esperto já sabe disso.

Narrativa histórica: Envolve uma série de episódios para apresentar um problema ou uma meta acompanhada a realização da meta. É uma abordagem que tenta persuadir os consumidores pela dramatização dos benefícios de marca. Storytelling, Websérie e Brand Content estão entre as estratégias mais usadas pelas marcas no universo digital para persuadir uma compra.

Porta-voz celebridade: Escolhido para aumentar a elaboração dos benefícios da marca, personificar o benefício da marca ou o produto. Atualmente é muito usado a tática dos influenciadores que usando ou não produtos marcas ou serviços são pagos para falar bem deles. Espertos, os consumidores já consegue identificar de forma muito rápida se se aquela mensagem é verdadeira ou falsa. Um exemplo não tão recente, foi de uma famosa blogueira meses fazia post sobre marcas de alto luxo e de uma hora para outra começou a falar de uma marca brasileira voltada à classe CD, ou seja um dia esta blogueira falava sobre um vestido de 10.000 dólares, no outro, ela falava sobre uma calça jeans de 80 reais. Uso de influenciadores tem sido altamente discutido pelo mercado publicitário ainda mais depois do caso de racismo do influenciador Cocielo.

Programação de mídia

Toda e qualquer mensagem criada pela propaganda precisa ser divulgada. Quando um dos nossos franqueados da Guia-se consegue montar um planejamento eficaz para os seus clientes é preciso que esse planejamento chegue no consumidor. A mídia não é a solução dos problemas mas sim a plataforma que conecta o potencial consumidor como que a marca quer oferecer, mídia é o espaço onde conta-se uma história, mas essa história tem que ter mensagens persuasivas como vimos até aqui neste artigo.

Ao selecionar os veículos de mídia, é preciso entender Qual a intimidade que este veículo tem com cliente em potencial, mundo da mensagem e com a marca. Hoje existem diversos veículos de mídia de massa como também veículos que conseguem falar de forma individual com os potenciais consumidores. Na internet, cenário onde é possível fazer mídia de massa e mídia individual ao mesmo tempo, além disso, é o único local onde é possível fazer mídia para quem está procurando um determinado produto ou marca.

Seleção de mídia

Ao selecionar os veículos, vendo da verba que o cliente disponibiliza para campanha, é preciso entender que nem todos darão resultado imediato, como se espera das mídias chamadas mídias de performance, exemplificadas em: Google, facebook e programática. Mídias mais individualizada como e-mail marketing ou notificações no celular, baseadas em decisões tomadas via CRM, oferecem benefícios exclusivos de acordo com o momento de cada consumidor.

Mídia display em portais, são mídias de massa, focadas para quê um enorme número de pessoas conheçam sobre marcas, serviços, produtos ou campanhas. Existem diversos estudos, para que na mídia de massa as campanhas consigam atingir o maior número de pessoas dentro de um perfil pré-determinado para campanha, entretanto, é inevitável a dispersão, ou seja, impactar pessoas que não tem o menor interesse renda ou afinidade com produtos ou marcas anunciados.

Programação da mídia

A estratégia de mídia, é algo que precisa ser muito bem pensado e analisado. Isso envolve decidir o número de Exposições da marca, onde expor e com qual frequência expor. As decisões de verba devem ter como base de tomada de decisão a cobertura, continuidade dos canais de mídia. Nem sempre, causa de verba é possível ter a frequência desejada, porém no universo digital existe uma vantagem que nem todos os canais de mídia são pagos. Uma forte estratégia de marketing digital é estratégia de conteúdo, muito usada nos seus canais de marca próprios, onde investimento em equipe e não em compra de mídia, portanto é uma estratégia a ser feita diariamente para engajar, convencer e persuadir o consumidor final.

A propaganda eficaz

Uma propaganda de resultado quem receba a mensagem elabore uma informação de decisão relevante apresentada em um anúncio,, mensagem no site ou e-mail entendo qual a mensagem efetivamente o com a marca deseja passar para o consumidor. Marcus Hiller, um dos grandes estrategistas de branding no Brasil, afirma que nem sempre o consumidor entende a mensagem que a marca deseja passar, essa afirmação vem muito ao encontro de diversos estudos em que hoje as pessoas escrevem mais, uma vez que hoje qualquer um é produtor de conteúdo bastando ter apenas um computador, acesso à internet está presente em qualquer uma das redes sociais. Escrevermos mais, lemos mais, mas interpretamos mal. Um grande erro cometido pelas pessoas o universo digital, é o fato de simplesmente, as pessoas lerem o título e decidir em qual o conteúdo daquele texto apenas pelo título.

Anunciantes devem ajudar as pessoas

Os anunciantes devem facilitar a compra munição nos consumidores de informações, leis de campanhas e relacionamento, repetindo mensagem, vendo o momento do Consumidor dentro de uma jornada de consumo para ajudar no momento de decisão de compra. A propaganda eficaz, inclui a criação de um texto e a seleção das melhores mídias, que satisfação o consumidor. O conteúdo é muito mais importante do que o formato ou a plataforma. Uma marca pode ter muito mais seguidores no Facebook do que no Instagram, mas se o Instagram tiver com conteúdo melhor, há maiores chances do Instagram dar mais resultado.

O que as pessoas sabem sobre a sua marca?

Toda construção de marca, e a propaganda é um pilar extremamente importante para isso, deve ter como um dos objetivos seja principal secundário o reconhecimento favorável da marca, produto ou serviço está sendo ofertada na campanha a disposição dos clientes em relação a uma marca deve ser avaliado pelo uso dos próprios relatos de quem consome o produto. Bill Gates, afirma que os melhores feedback de cliente são aqueles que não são mais clientes, e ele está certo, esse não deve ser um consumidor desprezado, em alguns casos ouvindo esses consumidores eles podem até voltar a consumir uma vez que entendendo que a marca está preocupada em arrumar o que está errado um novo voto de confiança pode acontecer, porém, conversar com seus consumidores não têm esse objetivo.

Para saber o que as pessoas sabem sobre a sua marca, é importante que os gestores de marketing façam pesquisas constantes avaliando habilidade dos clientes em reconhecer a informação sobre produto, grau de interesse e a identificação que as pessoas têm com os produtos, marca ou mesmo os serviços.

Foco nas pessoas

No fundo o que as marcas fazem é vender para pessoas. Pouco importa se será pela rede social site ou blog, o formato e o canal pouco farão a diferença se a mensagem estiver errada. Quando se avalia a eficácia da propaganda o foco deve estar centrado no que as pessoas sabem sobre a marca e como se sente em relação a ela e pouco recall da campanha feita campanha são passageiras, elas mudam muito, a essência da marca e o que essa deve fazer para o seu consumidor, deve ser eterna.

Em resumo: Uma marca não será construída apenas com propaganda, mas também não será apenas com missão, valores e visão. Uma marca não se constrói apenas com produtos ou serviços, assim como não se faz apenas com mídia. A marca não é persuasiva apenas com uma mensagem aleatória e também não será eterno o dinheiro a ser usado para campanhas. Marcas não sobrevivem sozinhas e as pessoas são o que ela tem de mais importante. Uma marca é construída quando todos esses pontos são organizados de forma a trabalharem juntos e diariamente. Cabe ao gestor ser o maestro de tudo isso.






Escrito por: Equipe Guia-se









Deixe um comentário










Serviços

Confira os serviços que a Guia-se oferece




Criação de sites

saiba mais

Loja Virtual

saiba mais

Mídias  Sociais

saiba mais

Inbound Marketing

saiba mais

E-mail Marketing

saiba mais





Saiba mais sobre as nossas franquias de marketing digital
Fale com um de nossos consultores